Debate esclarece atual situação do descarte de resíduos sólidos, perspectivas futuras e a necessidade do consumo consciente

Líder do segmento de serviços automotivos, a DPaschoal reuniu especialistas do setor para avaliar o que o mercado vem realizando para combater o descarte irregular de resíduos e como eles podem impactar o meio ambiente, destacando a importância do consumo consciente.

O primeiro a expor foi o professor Marcus de Castro, da Universidade Estadual Paulista, UNESP, especialista em Resíduos Sólidos. Ele fez uma análise da gestão das diversas classes de resíduos. Castro explicou que a etapa da coleta apresenta uma das principais dificuldades na cadeia de reciclagem, destacou ainda que: “Em 10 anos a frota brasileira saltou de 24 para 50 milhões, gerando uma demanda maior de produtos descartados, a informalidade nas oficinas é grande e o poder público peca na regulamentação e fiscalização”, concluiu Castro.

Manoel Browne de Paula, gerente de Relações Institucionais, Jurídicas e Regulatórias do Grupo Lwart, explicou sobre a complexidade da cadeia de transformação do óleo lubrificante usado e contaminado (OLUC) e dos custos envolvidos. Destacou a urgência no cumprimentos das leis e da fiscalização e a necessidade de mudança na postura de cada cidadão, que deve se preocupar com o destino que o profissional dará ao produto descartado.

A Johnson Controls Powers Solucion, esteve representada pelo seu gerente de vendas, Eduardo Migliatti. A fabricante de baterias criou o “Ecosteps”, programa de reciclagem que já recolheu 8 milhões de unidades. Construída por materiais altamente contaminantes (chumbo e ácido) esse recolhimento é importante para a sustentabilidade.

Para Marcelo Alvarenga, da Mazzola Ambiental, empresa especializada no gerenciamento de resíduos sólidos e logística reversa, o maior desafio na cadeia de reciclagem de qualquer resíduo é a logística reversa. Destacou que cada um tem papel fundamental para colaborar na redução do descarte incorreto. O Consumidor deve ter a consciência de entregar os pneus nas revendas. O Gerador, deve garantir a destinação correta dos pneus através de empresas especializadas.

A Associação Nacional de Remanufaturadores de Autopeças – ANRAP – representada pelo seu presidente Jefferson Germano, trabalha dentro do Programa Global de Sustentabilidade (Reduzir, Reusar e Reciclar). Germano também relembrou do caminhos que o Brasil vem percorrendo como as leis que regulamentam o processo da logística reversa, do Desmanche e Reciclagem Automotiva, mas para ele existe muito o que fazer ainda: “Um conjunto de ações precisam ser desenvolvidas, o elo da corrente deve ser fechado, governo tem que fiscalizar, as empresas que cumprir a lei e o consumidor procurar destinar seus resíduos sólidos para empresas certificadas e confiar no produto remanufaturado”.

Fechando as apresentações, Eliel Bartels, Gerente de Engenharia da DPaschoal, ressaltou o trabalho que a empresa desenvolve desde os anos 90, o Consumo Consciente.

Todo o carro que entra em uma loja DPaschoal, antes de trocar qualquer peça é encaminhado para uma revisão de segurança. Com o lema “Medir e Testar Antes de Trocar” a DPaschoal desenvolveu ferramentas de diagnose, que mostram ao cliente a real situação das peças do veículo. Enquanto acompanha esta revisão, o consumidor é orientado para cuidar da manutenção preventiva de seu veículo. Seguindo estas orientações pode prolongar a vida útil das peças e pneus em até 25%.

Educando o consumidor, medindo, testando e avaliando antes de trocar qualquer peça, medida que reduz de forma significativa o consumo e, realizando a destinação correta das peças e pneus inservíveis à empresas certificadas, a DPaschoal fecha o ciclo.

E após um debate, que envolveu todos os presentes ficou a pergunta: De que forma cada um de nós pode colaborar para um consumo consciente?

Fonte: Dino (02/12/2015)

Publicado por www.anrap.org.br

417 View