Na hora de decidir por qual peça utilizar na manutenção automotiva, frotistas, proprietários e usuários de transportes ainda têm dúvidas sobre as opções existentes e seus benefícios. O fato é que há duas formas de realizar a manutenção de veículos: a primeira é fazer a substituição do conjunto completo por outro novo e, a segunda, é fazer o conserto pontual através da simples substituição do item defeituoso.

Aqueles que apostam na primeira opção – ao substituir o conjunto completo por um outro remanufaturado -, podem ter a certeza de que estarão fazendo a escolha certa. Isto porque o processo de remanufatura assegura que essa reparação seja feita com um produto 100% recuperado dentro das instalações do fabricante original, de acordo com seus padrões tecnológicos globais.

Já na segunda opção, no processo de recondicionamento, a peça defeituosa não é avaliada criteriosamente para se identificar quais itens necessitam realmente de reparo. Neste caso, somente os componentes defeituosos são substituídos por outros de procedência duvidosa e, caso a peça ainda apresente defeitos, não há um suporte técnico devido e confiável para o qual se possa recorrer. O produto recondicionado é consertado sem qualquer norma tecnológica ou processo seguro. A procedência duvidosa expõe ocupantes do transporte a riscos de acidentes, além de reduzir o tempo de vida útil do veículo.

Sendo assim, avalie bem:

O processo de REMANUFATURA:

  • Faz uso de peças usadas (casco) como matéria-prima;

  • O fabricante realiza a desmontagem completa do componente, para recuperá-lo;

  • Após desmontadas, todas as partes são limpas;

  • Itens defeituosos são completamente substituídos por novos, incluindo atualizações tecnológicas;

  • Após a montagem do produto, o fabricante realiza testes de qualidade;

  • O produto retorna ao mercado com certificação de procedência, originalidade e garantia de fábrica.

O processo de RECONDICIONAMENTO:

  • Faz uso de produtos defeituosos;

  • Realiza apenas a detecção do problema, pontualmente;

  • A desmontagem do componente acontece apenas na parte onde há o defeito;

  • É feita a remontagem, caracterizando o produto como “reparado”;

  • Todo o trabalho é mecânico, sem qualquer norma tecnológica;

  • O cliente permanece com o mesmo produto, sem atualizações.

 

Navegue pelo site da ANRAP e saiba mais sobre as vantagens dos produtos remanufaturados para uma manutenção automotiva mais segura, confiável e de qualidade.

517 View