Eaton atingiu a marca de 8 mil transmissões remanufaturadas no Brasil desde o lançamento da Linha ECOBox. Cerca de 50 modelos diferentes foram recuperados até que atingissem a qualidade de produtos novos. O processo de remanufatura é regulado por uma resolução da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e só pode ser feito pelo próprio fabricante ou empresa por ela autorizada. 

Segundo a Associação Nacional dos Remanufaturadores de Autopeças (Anrap), em cerca de duas décadas a recuperação de peças triplicou no Brasil e está mais desenvolvida no setor de veículos pesados, porém também tende a crescer na frota leve. Mais de dois terços das transmissões recuperadas pela Eaton correspondem a modelos para caminhões urbanos, ônibus e micro-ônibus. 

No entanto, a procura por caixas recondicionadas para veículos pesados e picapes aumenta a cada ano. O Sudeste responde por metade da demanda de transmissões recuperadas. O Nordeste vem a seguir. Segundo o gerente de produtos aftermarket Francisco Coli, a Eaton notou crescimento significativo no interesse de frotistas e caminhoneiros por causa da relação custo-benefício. “Além de custar 40% menos e ter a mesma garantia de um produto novo, elas possibilitam redução do tempo e da frequência de parada do veículo e menor custo por quilometro rodado, afirma Coli. 

A Eaton fez um contrato com uma empresa aérea para garantir agilidade na distribuição de modelos menores. As entregas são feitas em menos de 72 horas para qualquer distribuidor do Brasil. No caso das caixas de câmbio para caminhões pesados o frete é rodoviário.

Fonte: Automotive Business (Redação AB)

Publicado por www.anrap.org.br

276 View