Há 20 anos a ANRAP identificou que as peças colocadas no mercado sofriam desgastes naturais e necessitavam de reposição. Muitas vezes, essas peças chegavam a passar por 4 à 5 reparações antes de serem inutilizadas. Os reparados eram feitos de qualquer maneira, sem quaisquer procedimentos ou padrões tecnológicos. O fato fez com que os fabricantes passassem a remanufaturar os produtos dentro de suas instalações, com o objetivo de estender a vida útil das peças usadas e retorná-las ao mercado como produtos novos, ou seja, com atualizações tecnológicas e garantia de procedência.

Neste processo, todas as características genuínas da peça são restauradas. Quando o cliente entrega ao fabricante uma peça usada, que não está mais em condições de uso, ela é desmontada, limpa e inspecionada. Com base no modelo original, o fabricante verifica o que deve ser feito para que a peça volte a ter as mesmas características de um produto novo. Durante o processo, podem haver adições de outros itens novos e originais.

Após a montagem do produto, o fabricante realiza uma série de testes a fim de assegurar que a peça retorne ao mercado com as mesmas especificações de qualidade de produção do fabricante. Hoje, o processo de remanufatura já é uma tendência de mercado.

Publicado por www.anrap.org.br

 

Recebimento de peças usadas pelo fabricante.
Desmontagem, avaliação e inspeção das partes.
Lavagem, jateamento e salvamento das partes a serem reutilizadas.
Montagem, aplicação das partes novas e testes de qualidade.
962 View