A Revista Caminhoneiro publicou reportagem especial sobre produtos remanufaturados e abordou o processo, mercado, potencial, vantagens e curiosidades da remanufatura. 

A matéria destacou que devido à forte retração econômica, o reaproveitamento, a reciclagem e o reuso de recursos são uma forte tendência, abrindo chances de redução de custos. Na reparação automotiva, por exemplo, uma boa opção é o uso de produtos remanufaturados por serem mais baratos do que um item novo. Além da economia, quem faz uso do remanufaturado colabora para a preservação do meio ambiente. Sua aplicação também ajuda a estender a vida útil do veículo.

Maurício Gayubas, da BorgWarner PowerDrive Systems, explica que as pessoas não devem confundir produto remanufaturado com recondicionado. A remanufatura de produtos é um processo realizado 100% dentro das instalações do fabricante original. Só ele detém o conhecimento para reconstituir a peça dentro dos padrões tecnológicos de produção e deixá-la “nova de novo”. As peças usadas são devolvidas à fábrica e passam por um criterioso processo de reconstituição.

Um processo que inclui a desmontagem de todos os itens do componente, inspeção e lavagem das partes; substituição dos itens não mais utilizáveis por outros novos, considerando todas as atualizações tecnológicas; montagem da peça e testes finais de qualidade. O produto sai da fábrica certificado com procedência, originalidade e garantia. “A peça remanufaturada é sempre mais econômica quando comparada ao mesmo produto novo”, comenta Gayubas.

No processo de recondicionamento, a peça defeituosa não passa por uma avaliação criteriosa para identificar quais itens necessitam ser reparados. Com isso, apenas os componentes defeituosos são substituídos por outros de procedência duvidosa e, caso o defeito da peça ainda persista, não há um suporte técnico devido e confiável. O produto é consertado sem seguir quaisquer normas tecnológicas ou processos seguros de produção. Esta origem duvidosa expõe o usuário a riscos de acidentes e reduz, consideravelmente, o tempo de uso do veículo.

Saiba o que dizem os demais fabricantes a respeito. Leia a matéria na íntegra, no Portal da Revista Caminhoneiro, em: http://goo.gl/JQYbVQ

 

437 View